Autárquicas 2017

PSD BARREIRO | Bruno Vitorino apresenta candidatura à Câmara Municipal

Sob o mote «Dar Futuro ao Barreiro», Bruno Vitorino, cabeça de lista à Câmara Municipal pelo PSD, apresentou esta noite a sua candidatura perante um auditório repleto na Escola Superior de Tecnologia do Barreiro, ao qual apresentou as principais linhas da sua candidatura. 

Autores
Foto
  • Carmo Torres / Diário Imagem

Localidade
  • Barreiro

Categoria
  • Política

Na ocasião, além de vários autarcas do PSD no distrito, deputados da Assembleia da República e eleitos, esteve também presente Maria Luís Albuquerque, vice-presidente do PSD e deputada eleita pelo distrito de Setúbal.

 

A sessão iniciou-se com o discurso de Vítor Castro Nunes, que repete este ano a candidatura como cabeça de lista à Assembleia Municipal do Barreiro, e que realçou “o desalento que eu e muitos barreirenses sentimos com uma terra deprimida e com enorme passivo ambiental, social e habitacional em que o Barreiro se tornou, ferido de morte como está, com moradores ostracizados e empreendedores carregados de taxas e burocracias, e todos os dias sentimos o desinteresse e desalento da população.”

 

Alertou depois para “a necessidade de combater a abstenção, no caso do Barreiro chega aos 58%, o que apenas serve o poder instalado”, e frisou depois que “apesar de tudo, o Governo PSD/CDS apresentou alguns projectos para o concelho, algo que este Governo PS/CDU/BE ainda não fez, e até o quartel da PSP está parado, sabe-se lá porquê”.

 

Vítor Castro Neves apontou depois alguns dos planos do PSD para o Barreiro, “como a implementação de um pavilhão multiusos, piscinas modernas, um equipamento museológico que sirva realmente como âncora para o turismo, o reforço da intervenção social, com a criação do ‘Barreiro Amigo’, um projecto que una gerações e afaste o isolamento dos mais idosos”.

 

«Há que mudar mentalidades»

 

“O Barreiro está cada vez mais abandonado e sujo e temos de mudar isso” referiu Bruno Vitorino no início do seu discurso, após a visualização de um vídeo do candidato com algumas ideias-chave da sua candidatura, agradecendo ainda a presença da comunicação social local e regional “sem a qual seria mais difícil o diálogo e a passagem das nossas ideias”.

 

Apresentou depois alguns exemplos de situações que necessitam de intervenção urgente, no seu entender, como “aquilo que começou por serem hortas urbanas, na Quinta dos Fidalguinhos, e agora é um amontoado de barracas, onde já moram pessoas, mas que o executivo CDU deixou avançar sem nada fazer, porque espera sempre que seja o Poder Central a resolver os problemas”.

 

Apresentou depois imagens da degradação no Barreiro Velho, com casas em ruínas “incluindo a ‘Casa da Cerca’, da propriedade da Câmara Municipal, que se encontra ao abandono e ainda tem uma torneira que verte água constantemente. Mas para a CDU o que importa é celebrar os 80 anos da água pública.

 

Não tenho orgulho em apresentar aqui estas situações, naquilo que devia ser o centro da cidade, onde moram os mais idosos, mas que é o único local do país onde até é possível escolher que casa se quer ocupar, sem que nada seja feito. Há ali uma grave situação social, mas é preciso intervir de forma urgente e com os meios necessários.”

 

Depois de apresentar ainda como exemplos a degradação do parque da Quinta da Mina, e da casa do ténis no Parque da Cidade, bem como da limpeza da vegetação e lixo das ruas, e das paredes grafitadas, Bruno Vitorino considerou que “temos de recuperar o Barreiro, e para isso há que mudar mentalidades. Não podemos esperar apenas pelo ‘Dia B’ para fazer aquilo que a Câmara Municipal não faz durante todo o ano.”

 

O candidato propõe o reforço da vigilância, com a criação de uma polícia municipal e um sistema de videovigilância, “que já está implementado noutros concelhos, mas para o executivo CDU parece meter medo, pese embora o facto de todos sermos filmados em bancos ou no aeroporto. Há que criar um Barreiro seguro e com regras, porque temos de devolver as ruas, a qualquer hora, a quem aqui reside.”

 

As propostas passam ainda pela criação de um Balcão do Munícipe nos mercados municipais “proposta que foi aprovada por unanimidade, mas ainda não saiu do papel”, e “a redução das tarifas da água, criar equipas de limpeza de grafittis e punir os seus autores, bem como autuar os donos de animais que sujem as vias públicas.”

 

No campo dos projectos, “muitos deles apresentados como propostas na Câmara Municipal mas rejeitados pela CDU e pelo PS, entre eles o da Polícia Municipal e da videovigilância, pretendemos ainda baixar o IMI e criar o IMI Familiar, além de baixar as taxas que actualmente são cobradas às empresas, o que é possível, porque já se faz noutros concelhos”.

Adicionar Comentário