Bombeiros

BOMBEIROS | Presidente da LBP contesta declarações sobre viagens de comboio

O presidente da Liga de Bombeiros Portugueses (LBP), Jaime Marta Soares, já contestou as declarações do secretário de Estado da Administração Interna sobre os bombeiros se deslocarem de comboio para os palcos de acção durante a fase de incêndios, depois do Governo ter recusado a proposta daquela entidade para que o transporte fosse feito em autocarros alugados.

Autores
Foto
  • Arsénio Franco / Diário Imagem

Localidade
  • Portugal

Categoria
  • Portugal

O secretário de estado da Administração Interna (SEAI), Jorge Gomes, declarou que este Verão, 90 bombeiros de Lisboa vão deslocar-se aos incêndios em Viana do Castelo de comboio e autocarro para “evitar desgaste” das viaturas de serviço e os acidentes.

 

Jorge Gomes falava no Parlamento, esta quarta-feira, na apresentação do Dispositivo Especial de Combate aos Incêndios Florestais para 2017, referindo que esta medida se insere numa nova “visão estratégica” e que visa ainda impedir que as corporações fiquem mais cansadas quando chegam aos teatros de operações, bem como “acabar com as colunas de bombeiros a circular nas auto-estradas, o que não era uma imagem positiva”.

 

Para o presidente do conselho executivo da Liga dos Bombeiros Portugueses, Jaime Carlos Marta Soares, “é lamentável que os associados tenham obtido conhecimento desta norma através dos meios de comunicação social, tratando-se de uma medida contra a qual muitos bombeiros já se insurgiram nos quartéis”.

 

Jaime Marta Soares, em declarações ao blogue Bombeiros Para Sempre – BPS, garantiu que “esta é uma solução com muitos anos, que foi testada no passado e não funcionou” e salientou que “este tipo de decisões só acontece porque não existe um entendimento próximo entre as LBP e o executivo governamental”.

 

O presidente do conselho executivo acusou ainda o Governo de “não ouvir a LBP” e de “tomar decisões nas costas desta e dos bombeiros portugueses, pois só assim se justifica que não tenha aceitado a proposta que ia no sentido dos operacionais viajarem em autocarros, uma vez que iriam directos dos quartéis para os teatros de operações”.

 

Jaime Soares encerra este tema com uma pergunta: “os GIPS da GNR ou a FEB da ANPC também vão viajar de comboio?”.

Adicionar Comentário