Gastronomia

MONTIJO | ‘Pastel Aldegalega’ recupera sabores da bolota

A novidade gastronómica lançada durante a Bolsa de Turismo de Lisboa pelo município do Montijo em colaboração com a Confeitaria S. Julião já se pautou por um sucesso

Autores
Foto
  • DR - Confeitaria S. Julião

Localidade
  • Montijo

Categoria
  • Gastronomia

O ‘Pastel Aldegalega’ é uma doce especialidade criada pela Confeitaria S. Julião em resposta a um desafio do presidente Nuno Canta, e que engloba alguns dos produtos típicos montijenses como a farinha de bolota e a carne de porco, à mistura com o açúcar.

 

“Apresentámos ao público na Bolsa de Turismo de Lisboa este pastel doce, mas que tem ingredientes que fazem parte da nossa história, como a carne de porco e a farinha de bolota, base da alimentação desses animais” explicou ao Diário do Distrito o autarca.

 

“É toda essa história que está interiorizada no pastel que, posso dizê-lo, é delicioso e esgotou num instante. Este foi um desafio que lançámos à Confeitaria S. Julião, que tem vindo a trabalhar muito estes elementos culturais da península de Setúbal, de fazer um pastel com os ingredientes ligados ao porco e à nossa origem. E realmente ficou um pastel lindíssimo e saboroso.”

 

Nuno Gil, responsável da Confeitaria S. Julião, explicou que “este doce é uma homenagem à história e gentes da Aldeia Galega. O ‘Pastel Aldegalega’ tem a ver com os nossos valores gastronómicos de sempre, a carne de porco, e também leva a bolota do porco, revivendo a engorda do porco antigo, que era morto em Aldegalega e transportado para Lisboa, abastecendo Lisboa de carne fresca.”

 

A Aldeia Galega teve origem na doação de terras efectuada por D. Sancho I à Ordem dos Cavaleiros de Santiago, em 1186, e em 1514, a Vila recebe de D. Manuel I a Carta de Foral e devido à sua localização geográfica, em 1533 o Correio Mor do Reino instalou ali a sede da Mala Posta do Sul.

Adicionar Comentário