Empresas

LISNAVE | Resultados positivos embora com menos reparações

A Lisnave – Estaleiros Navais apresentou o seu relatório de actividades relativas a 2016 na qual apresenta resultados positivos, apesar da diminuição no número de navios reparados

Autores
Foto
  • DR - Lisnave

Localidade
  • Setúbal

Categoria
  • Economia

Tópicos

Menos quarenta navios reparados que em 2015, mas mesmo assim um resultado positivo, é o balanço que a Lisnave – Estaleiros Navais faz da sua actividade de 2016, num comunicado enviado na segunda-feira às redacções e no documento disponível no seu site.

 

Neste considera que «foram obtidos resultados positivos, embora 2016 tenha sido um ano difícil para a actividade de reparação naval, fortemente afectada pela crise do sector do transporte marítimo, que sofreu uma forte redução das taxas de frete, em consequência do aumento da frota mundial e da contínua instabilidade da frota mundial».

 

A empresa salienta que «apesar da crise e do aumento da concorrência internacional, verificou-se, em média, um significativo aumento do volume de trabalho por navio e a Lisnave conseguiu um desempenho positivo, reparando 67 navios provenientes de 39 diferentes clientes de 17 países.»

 

Os maiores clientes ao longo do ano foram a Teekay através de encomendas originárias nos seus escritórios de Singapura, Brasil e Noruega, que docou oito dos seus navios na Mitrena tendo a Tsakos Columbia Shipmanagment da Grécia docado seis navios.

 

Da actividade em 2016, a Lisboa destaca ainda a singapuriana American Eagle Tankers e a venezuelana PDV Marina com quatro unidades cada.

 

A Lisnave repara os mais variados tipos de navios, «sendo de destacar o mercado tradicional de petroleiros, onde a Lisnave mantem a liderança europeia na reparação neste segmento, com 51 navios docados, seguido pelos porta-contentores com 6 navios» sublinha a empresa.

 

O comunicado refere ainda que «embora se tenha reparado um número inferior de navios em comparação com as expectativas no início do ano e uma ligeira diminuição do número de navios reparados em comparação com os últimos anos, o reconhecimento do trabalho de qualidade desenvolvido pela Lisnave, no estaleiro da Mitrena, em Setúbal, está patente no elevado número de reparações com origem em clientes fiéis no ano de 2016, confirmando assim uma tendência constante nos últimos anos de actividade.»

Adicionar Comentário