Saúde

PSD | Deputados exigem esclarecimentos sobre urgências no Centro Hospitalar Barreiro/Montijo

O PSD exigiu ao Governo esclarecimentos sobre caos nas urgências do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo

Autores
Foto
  • DR - SNS

Localidade
  • Montijo, Barreiro

Categoria
  • Política

Os deputados do PSD do distrito de Setúbal pediram esclarecimentos ao Governo sobre a situação caótica das urgências do centro Hospitalar Barreiro/Montijo, que levaram no início da semana passada ao encaminhamento de vários utentes para outros hospitais.

 

Em comunicado enviado para as redacções, a deputada Maria das Mercês Borges refere que «após as notícias de que no passado mês de Dezembro, mais concretamente entre os dias 20 e 22 de Dezembro, o Serviço de Urgência de Obstetrícia e Ginecologia do Centro Hospitalar Barreiro/Montijo esteve com atendimento limitado para situações de grávidas em trabalho de parto, utentes daquela unidade hospitalar, as quais teriam que ser atendidas noutros hospitais da região, surgem agora novos episódios de encaminhamento de utentes em situação de urgência para outros hospitais».



Perante este cenário, os social-democratas querem que o ministro da Saúde esclareça quais as medidas que foram adotadas para que esta situação não se repita, bem como se existe um plano de emergência para acautelar novos acontecimentos do género e o respetivo reforço de equipas médicas.


Também o deputado do PSD, Bruno Vitorino, confessa alguma estranheza “por não ver nenhuma indignação por parte das comissões de utentes, nem do PCP, que anteriormente por algo muito menos grave do que isto faziam vigílias e manifestações, pois anteriormente diziam que era um governo de direita a desmantelar o SNS. Agora que a situação é mais grave, remetem-se ao silêncio e já não há comissões de utentes, nem o SNS está em perigo.
Passou a ser mais importante defender o Governo do que as populações”.


Bruno Vitorino alerta também para o aumento brutal da divida do Serviço Nacional de Saúde, e exige saber qual o aumento da divida no Centro Hospitalar. “As dívidas, ao aumentarem desta forma, vão tornar insustentável a gestão deste hospital, com graves consequências para os doentes."

Adicionar Comentário