Opinião

OPINIÃO – Montijo no final da década quarenta - alguns aspectos

Um artigo de opinião de José Caria que relembra o concelho do Montijo no final da década de quarenta.

Autores
Foto
  • DR

Localidade
  • Montijo

Categoria
  • Opinião

No Concelho de MONTIJO, no final da década quarenta, residem 25.887 Pessoas; Montijo conta então com 7987 Prédios, mais do que em 1940 (4.057); em 1950 serão já, em Montijo, 7.559 Fogos; a densidade populacional no Concelho cresce também de 46,8 % em 1940 para 68,8 % no final da década; Cresce a população residente nas Freguesias de Montijo, Canha e Sarilhos Grandes; Há redução do número de Patrões, concentração de propriedade, e redução do número de trabalhadores na Agricultura.
 
Com Portugal prestes a ser invadido pelos nazi-fascistas (Outono de 1940) ficaríamos todavia “neutrais“ no 2.º Grande Conflito Mundial (1939/1945),tal como a Espanha fascista de Franco.
 
Pelo Mundo, na 1.ª metade da Década, vai à Guerra: Alemanha, Itália, e outros “aliados” uniram-se para tentarem o domínio do Mundo;
 
Em Agosto de 1945, como resposta ao ataque japonês a Pearl Harbour (no Pacífico) os E.U.A. lançam sobre Hiroshima a Bomba Atómica; os Soviéticos penetram no Norte de Itália, É o começo do fim do III Reich: - a sete de Maio de 1945 a Alemanha nazi rende-se!...; Ceifadas na Guerra ficam 55 milhões de Vidas em todo o Mundo, 20 milhões de Refugiados, expulsos ou exilados !!!...
 
Por cá a Guerra trouxe privações; Géneros alimentícios são enviados para os Nazis e faltam em Portugal - há o racionamento e longas filas, há mercado negro, reina um clima de insatisfação nos Portugueses bem patente nas Greves de 1941,42, de 43 a 49 (lutas rurais, corticeiros, Estaleiros navais, Metalurgia, vidreiros etc...).
 
Até 1949, desde 41, é um período rico em atividades oposicionistas sindicais. Nos fins de 1944 os Operários corticeiros do Seixal, do Barreiro, Almada, MONTIJO ,Grândola e Sines fazem Concentrações, pressionam e reivindicam melhores condições de vida;
Nos fins de 1944 são anunciadas “Eleições”; em 1944 forma-se o Movimento de Unidade Nacional Anti-fascista; em 1945 dão-se grandes lutas dos operários corticeiros da Margem Sul, Alentejo e Algarve; em 1949 Carmona confronta-se com Norton de Matos este proposto pelo M.U.D.; neste mesmo ano o Estado português torna-se membro fundador da NATO;
 
“Todos Unidos pela Liberdade” é palavra de ordem geral nas Eleições de 1947/19497.
 
A Industrialização evolui no País. Cresce a população residente a exercer uma profissão na Indústria. Cresce, nos Campos, a população ativa. De 1940 para 1950 aumenta o número de Assalariados. Configura-se, no País um surto demográfico.
 
No Distrito de Setubal, nesta década, baixa a população ativa, enquanto a população ativa agrícola sobe, diminui o número de Patrões na Agricultura, aumenta o número de Trabalhadores por conta de outrem.
 
No Concelho de MONTIJO, no final da década quarenta, residem 25.887 Pessoas; Montijo conta então com 7987 Prédios, mais do que em 1940 (4.057); em 1950 serão já, em Montijo, 7.559 Fogos; a densidade populacional no Concelho cresce também de 46,8 % em 1940 para 68,8 % no final da década; Cresce a população residente nas Freguesias de Montijo, Canha e Sarilhos Grandes.
 
Há redução do número de Patrões, concentração de propriedade, e redução do número de trabalhadores na Agricultura.
 
A Indústria desenvolve-se à volta da Zona Central da Freguesia principal (Montijo); aumenta o número de Estabelecimentos Industriais e o número de Operários na Indústria; Há concentração e polarização demográfica na Freguesia de Montijo; crescem os Bairros suburbanos; aumenta a triagem dicotómica Campo-Cidade.
 
Montijo é então o quinto Concelho do Distrito na grandeza de Superfície (376,36 Km2), o sétimo em número de Varões ativos ( 5.892 ) , e o 5.º em número de Varões ocupados na Agricultura .Nesta altura registavam-se 3 Asilos, 2 Hospitais , 1 Pensão , uma Prisão .
 
A população ativa agrícola cifrava-se em 2.912 pessoas (2.090 eram Assalariados); Rendeiros, Parceiros, assalariados ao ano, Proprietários e Empregados, Tratadores de Gado, Pastores e Guardadores de Gado eram algumas das Categorias dos Registos efetuados.
 
Em 1940 Montijo tinha 8.748 Mulheres ; na Agricultura estavam ativas, registadas, 280 Mulheres ( 197 eram Assalariadas) ; na Freguesia de Montijo 6.149 eram Mulheres ; em Canha eram as Mulheres 1.534 , e ,em Sarilhos Grandes eram 1.065; 3.149 mulheres a cargo do Chefe de Família não eram capazes de Ler ; 468 possuíam Instrução primária , duas frequentavam o Ensino secundário e 27 possuíam-no ; seis possuíam grau de instrução superior ; numa população presente de 20 e mais anos ,no Concelho, Mulheres, que contava com 5.323 Mulheres .
 
Em 1940 o Concelho contava com 11.442 pessoas que ficaram registadas como População Urbana e 6.154 Pessoas que ficaram registadas como População Rural.
 
1.195 pessoas eram não naturais do Concelho; 2.545 pessoas eram não naturais do Distrito.
 
José Caria (Montijo)
(*) ex-Vereador, ex-Presidente de Câmara, Deputado municipal.
Adicionar Comentário