Violência

SPORTING – MP indicia suspeitos de agressão por associação criminosa e terrorismo

O Ministério Público indiciou os 23 detidos por crimes de ofensa à integridade física qualificada, sequestro e dano com violência, associação criminosa e terrorismo.

Autores
Foto
  • Diário Imagem

Localidade
  • Alcochete

Categoria
  • Sociedade

O Ministério Público indiciou os 23 suspeitos detidos pelas agressões a jogadores e treinadores na Academia do Sporting em Alcochete pelos crimes de «introdução em lugar vedado ao público, ameaça agravada, ofensa à integridade física qualificada, sequestro, dano com violência, detenção de arma proibida agravado, incêndio florestal, resistência e coação sobre funcionário e também de um crime de terrorismo».
 
Num comunicado enviado pelo MP, é explicado que «os suspeitos entraram, sem autorização, naquelas instalações onde se encontrava a equipa principal do SCP, tendo ameaçado e agredido jogadores e técnicos e causado estragos nos equipamentos bem como em diversas viaturas».
 
Os 23 detidos foram esta quarta-feira identificados no Tribunal do Barreiro, depois de ter chegado o respetivo processo no qual consta a audição a 38 testemunhas e a elaboração dos respectivos autos.
 
«Por entender que devem ser aplicadas aos arguidos medidas de coação diversas de termo de identidade e residência, o Ministério Público decidiu apresentar os detidos a primeiro interrogatório judicial no Juízo de Instrução Criminal do Barreiro.»
 
A entrada dos detidos no Tribunal do Barreiro, pelas 13h00 de hoje e a saída destes pelas 21h40, foi seguida por palavras de apoio de cerca de trinta populares que se encontram no local e que tiveram mesmo de ser afastados à bastonada pela PSP, que alargou o perímetro de segurança em redor do Tribunal.

Os detidos vão voltar aos postos territoriais da PSP e da GNR de Almada, Costa da Caparica, Pinhal Novo, Alcochete e Montijo, regressando ao Tribunal amanhã às 10h00, sendo de esperar mais grupos de apoio junto do Tribunal, que já esteve hoje sob fortes medidas de segurança.
 
Entretanto os jogadores do Sporting assinaram hoje um comunicado no qual afirmam não ter «condições anímicas e psicológicas para de imediato retomarem a sua atividade de uma forma normal», mas «honrarão a sua condição de profissionais disputando o jogo da final da Taça».
Adicionar Comentário