Opinião

OPINIÃO – Obras de turismo no Seixal

Esta semana um artigo de opinião de Marlene Pires Abrantes, presidente da Comissão Política Concelhia do CDS-PP Seixal.

Autores
Foto
  • DR

Localidade
  • Seixal

Categoria
  • Opinião

É delicioso e até idílico ouvir o termo “requalificação”, onde se pressupõe que haja melhoramentos de uma zona pública, não só do ponto de vista urbanístico, mas também ambiental, paisagístico, etc.
 
Lamentavelmente, o que se fez no Núcleo Urbano Antigo do Seixal foi lavar a cara, neste caso, o piso!
 
O CDS-PP Seixal continua a achar (e verifica-se passados estes meses) que houve uma preocupação latente no embelezamento (gostos à parte, discutíveis) do Núcleo Urbano Antigo do Seixal na perspetiva de captação de turistas, peões e/ou ciclistas, mas deixa-se de fora o mais importante: os munícipes residentes, na sua maioria idosos que vivem na vila do Seixal desde sempre.
 
Efetivamente este concelho não é para esses, e viu-se recentemente no Parlamento quando o PCP e restantes partidos à esquerda votaram contra o pacote legislativo do CDS-PP para proteção dos idosos.
 
O concelho é para aqueles que podem sustentar este concelho de Abril, através do tal investimento privado que o PCP tanto critica.
 
Não importa, portanto, ter estacionamento suficiente para que possíveis novos residentes possam estacionar as suas viaturas, assobia-se para o lado e critica-se a lotação dos parques de estacionamento da Fertagus; não importa também que as pessoas, os tais idosos, tenham transportes públicos à porta em ambos os sentidos, assobia-se para o lado e critica-se a TST pela falta de autocarros e horários que disponibiliza na carreira 114, a única que passa ali!
 
Onde ficam os moradores? Em último plano, no mesmo plano onde (não) existiu a preocupação em prevenir as cheias, aproveitando que se estavam a fazer as obras, porque o importante é a imagem e o resto logo se vê!
 
Também lembramos a questão do exagerado e evitável prolongamento das obras, que tanto prejudicaram os Seixalenses e os comerciantes, todos deixados à sorte a partir do momento em que se mudaram as instalações dos Serviços Centrais da Câmara Municipal do Seixal, sob vários tipos de promessas vãs e ocas, as tais promessas idílicas que o Seixal continuaria a ter o mesmo movimento e dinâmica, tudo fruto da imaginação fértil de quem não pretende assumir a responsabilidade do estado a que chegou esta zona histórica do Concelho.
 
Se podíamos trabalhar todos juntos com vista a um objetivo comum? Podíamos, mas esta maioria CDU, ainda vive no mundo idílico da maioria absoluta que já não tem, e vai flutuando na falua em águas da nossa Baía.
 
É que há mais concelho para além do vermelho. E há mais concelho para além da Mundet. E há mais concelho para além das cedências a interesses corporativos, como a CGTP.
E há, se houver vontade política de mudar, dialogar, de desenvolver, de melhorar.
Adicionar Comentário