Opinião

OPINIÃO – A Liberdade Escolar

Esta semana inicia-se no Diário do Distrito a publicação de artigos de opinião da JP Barreiro, assinado por António São Pedro, vogal da Juventude Popular Barreiro, acerca da liberdade escolar.

Autores
Foto
  • DR

Localidade
  • Barreiro

Categoria
  • Opinião

Todos nós já ouvimos a lenga-lenga do facto da escola não estar preparada para os desafios do dia de hoje. ''Mas isso é desculpa de criança que não quer trabalhar!''. Já ouvimos tanta desculpa para a própria desculpa que pensar verdadeiramente o sistema educativo se torna inglório.
 
Cada vez mais se torna uma tarefa vertiginosa, espinhosa e principalmente aborrecida, ir para a escola 5 dias por semana, 9 meses por ano. O ambiente monótono é das principais queixas da escola ser tão desinteressante para o aluno médio. As aulas são sempre no mesmo modelo, as matérias completamente padronizadas e os exercícios igualmente semelhantes. Tudo o que na escola tem de bom, acaba por não compensar o mau.
 
Em vez de tarefas interactivas, que deixem o aluno a pensar, a querer resolver, a querer estudar mais, propõem-se o mesmo tipo de testes e exames para qualquer disciplina, sem uma real preparação para o “mundo real”.
 
Hoje em dia as crianças são ensinadas a sentarem-se direitas durante umas horas e a obedecerem aos professores. Hoje em dia as crianças vão para a escola e sentem o stress e a rotina como se de um emprego se tratasse. Hoje em dia não há vontade de aprender, devido a esse mesmo modo de ensinar padronizado e o tal ambiente monótono. Nenhum rapaz ou rapariga de um curso regular terá experiência ou conhecimento de trabalho. E se não quiser seguir mais estudos? A pessoa vai completamente impreparada para o futuro, algo impensável nos dias de hoje.
 
Que tipo de sistema educativo queremos? Um governo a ditar o que podemos ou não ler? Um Ministério da Educação que dita programas que pouco evoluíram nos últimos 30 anos?
 
A Liberdade de ensino é algo que, se pensarmos bem, nunca foi realmente atingida. As escolas deveriam ter a liberdade de escolher como ensinar e avaliar os seus alunos. Deveriam ter a Liberdade de escolher os seus professores.
 
E os pais e alunos deveriam também ter a possibilidade de escolher a escola que mais lhes agrada, tendo em conta os programas escolares, e não estar limitados pelo código postal de residência.
 
A Liberdade de ensino nunca foi alcançada e é algo que continua a afectar muitos estudantes nos dias de hoje. A escola não tem que ser uma tortura, a escola tem que ser o que queremos fazer dela.
Adicionar Comentário