AUTOEUROPA

ECONOMIA - Trabalhadores estão de volta à Autoeuropa após paragem forçada

Foi uma paralisação forçada de dez dias a que obrigou os trabalhadores da empresa alemã a umas férias forçadas. A paralisação deveu-se à falta de fornecimento de motores a gasolina para os veículos que ali são produzidos.

Autores
Foto
  • Diário Imagem

Localidade
  • Palmela

As instalações da Volkswagen Autoeuropa já voltaram a ouvir o barulhos das máquinas das várias linhas de montagem, depois de uma paralisação forçada, de dez dias, devido à falta de fornecimento de motores para os veículos a gasolina produzidos na fábrica de Palmela.
 
A linha de produção esteve parada entre o dia 24 de março e o dia 02 de abril, esta manhã já era visível o movimento habitual de trabalhadores nas portarias da empresa, segundo a administração da Autoeuropa, a paragem ficou a dever-se “ao aumento da procura de veículos a gasolina”, este aumento terá apanhado a empresa e os fornecedores da Volkswagen de surpresa e sem reserva suficientes para garantir a normal produção que ali é feita diariamente.
 
Segundo fonte próxima da empresa, a Volkswagen Autoeuropa aumentou o volume de produção de forma a garantir a satisfazer as encomendas do novo modelo que está a produzir do T-Roc, mas o mesmo não está a acontecer com os vários fornecedores que a empresa atualmente tem como parceiros, ao que parece estão com dificuldades em acompanhar o ritmo de produção da empresa de Palmela.
 
A empresa alemã, em Portugal, prevê que este ano possa atingir um volume de produção na ordem dos 240.000 veículos, na sua maioria T-Roc, efeito esse que está a preocupar os fornecedores que não estão a acompanhar a produção da fábrica de Palmela e receiam ainda haver mais dificuldade na entrega de equipamentos que compõem os veículos produzidos na Autoeuropa.
 
Sabe-se ainda que a pretensão da empresa é acelerar ainda mais o ritmo de produção já a partir do mês de agosto, data em que entrará um novo horário de laboração contínua, e que deverá levar a mais uma negociação entre a administração e a Comissão de Trabalhadores da Autoeuropa.
Adicionar Comentário