PORTUGAL AOS CACOS

Empregos para os Rapazes & Raparigas da CDU em Almada

Depois das eleições autárquicas de outubro último, há uma pergunta que muitos almadenses fazem: para onde foram trabalhar os vereadores do anterior executivo, agora que perderam os pelouros que antes lhes asseguravam o vencimento mensal?

Autores
Foto
  • DR

Localidade
  • Almada

Amélia Pardal (vereadora sem pelouro no atual mandato), técnica superior da câmara municipal de Almada e a única com vínculo público, foi nomeada em regime de substituição como Diretora do Departamento de Obras Municipais no concelho liderado pelo seu camarada Bernardino Soares (Loures).

 

Nada de mais, não fosse dar-se o caso de para ela poder ocupar “a cadeira” o camarada presidente ter feito cessar, no mesmo dia, a comissão de serviço do anterior ocupante. Nesta data encontra-se a decorrer o concurso para ocupação daquele lugar de dirigente, mas, sinceramente, alguém acredita que o vencedor será outro que não Amélia Pardal?

 

José Gonçalves, retomou a atividade como advogado. Disso deu notícia nas redes sociais com “pompa e circunstância” mostrando o seu cartão da Ordem. E, entretanto, conseguiu um ótimo negócio: uma aquisição de serviços em regime de avença adjudicada por ajuste direto (ou seja, sem concorrentes a ofuscar-lhe a “chegada ao pódio”), com a Câmara Municipal do Seixal (liderada pelo comunista Joaquim Cardador dos Santos) no valor mensal de 3.631,21€.

 

Vencimento aquele que terá um reforço em dobro nos meses de junho e novembro. Uma espécie de subsídios de férias e de Natal encapotados como forma de contornar a legislação já que os prestadores de serviços não têm direito a essas comparticipações como José Gonçalves sabe com toda a certeza, ou não fosse ele “um homem de leis” (que parece interpretar conforme mais jeito lhe dá).

 

Ainda a propósito desta contratação, deixo as dúvidas que uma pessoa interessada nestas questões me fez chegar e que considero pertinentes:

«Não me parece um bom exemplo de ética, para quem é tão exigente com os adversários, especialmente porque existe há longos anos um acumulado de dificuldades financeiras, e o vereador Gonçalves esteve envolvido nas cobranças atrasadas ou não efetuadas, por Almada ao Seixal.

 

Há, atualmente, candidaturas a projetos em que os Municípios são concorrentes, qual dos dois irá o José Gonçalves defender, aquele em que é Vereador ou o outro em que é avençado?

 

Já para não falar na posição partidária do PCP sobre as incompatibilidades, que quando é para os outros até pretende impedir que venham a trabalhar em empresas ou áreas nas quais tenham tido “influência” muitos anos antes.»

 

Vamos agora ao caso de Joaquim Judas, o médico que foi presidente da autarquia almadense de 2013 a 2017 e agora é um simples vereador sem pelouro.

 

Poder-se-ia pensar que, com mais tempo livre, iria aproveitar a reforma e dedicar-se à política “pro bono”, em nome dos ideais comunistas que defende, pois, a sua sobrevivência económica estava assegurada.

 

Engano nosso. Regressou ao exercício da medicina e celebrou uma avença com a Câmara Municipal de Setúbal liderada pela sua camarada Maria das Dores Meira pelo valor mensal de 2.829€. Resta também saber se não surgirão algumas contratações através da empresa Miguel Judas – H.S.S. E Medicina no Trabalho, Ld.ª (uma sociedade por quotas da qual a sua mulher faz parte), responsável pela prestação de serviços de medicina do trabalho na autarquia de Palmela, outro município gerido pelo PCP.

 

E por último temos o caso de Rui Jorge Martins (que no mandato em curso apenas “sobe ao palco” quando algum dos outros quatro eleitos falta) foi nomeado em comissão de serviço como secretário do Gabinete de Apoio à Vereação da Câmara Municipal da Moita. E qual é o partido com maioria no executivo? Adivinharam: o PCP.

 

Falta apenas saber o que é feito do vereador António Matos cuja atividade nas redes sociais continua bastante intensa. Por enquanto a sua atividade profissional “está no segredo dos deuses”, mas não me surpreende que um dia destes surja por aí uma qualquer avença numa autarquia comunista.

 

Se isto não são “empregos para os rapazes e para a rapariga da CDU em Almada” haja alguém que me explique o que é que são.

Adicionar Comentário