Opinião

Mediação imobiliário – Angariação não exclusivo

Esta semana, mais um artigo acerca de mediação imobiliária por José Torres.

Autores
Foto
  • DR

Localidade
  • Portugal

Categoria
  • Opinião

A angariação não exclusivo é hoje em Portugal uma forma preferida por alguns proprietários para venderem os seus imóveis. Estão convencidos que, quanto mais imobiliárias o promoverem, mais probabilidades há de ele ser vendido.

 

À medida que o mercado se torna mais maduro e profissional aliado a cidadãos cada vez mais esclarecidos, esta forma de mediar imóveis, tem vindo a perder terreno para a angariação em exclusivo.

 

A angariação não exclusivo e um serviço indiferenciado que trabalha a quantidade em detrimento da qualidade, onde a probabilidade de venda é bastante reduzida e o fator sorte substitui um trabalho planeado, estruturado e consistente.

 

É um serviço mais virado para o imóvel do que para o serviço/cliente. Limita-se a promover o imóvel na internet através do site da própria imobiliária e em outros sites normalmente gratuitos ou com custos muito reduzidos. Paralelamente, colocam um cartaz a anunciar a venda no próprio imóvel objeto da mediação (se o proprietário o permitir já que na maioria dos casos, o único cartaz existente é apenas o dele próprio) e uma fotografia na montra da loja (apenas disponível para uma pequena parte dos imóveis angariados).

 

Esta forma de mediar imóveis não se coaduna com grandes investimentos promocionais, já que sendo ele partilhado por diferentes imobiliárias e pelo próprio proprietário, existem grande probabilidade de ser vendido por outros e nesse caso os gastos efetuados não teriam qualquer retorno.

 

É muito frequente o preço pedido ser diferente em cada uma das imobiliárias angariadoras refletindo as diferentes comissões cobradas. Muitas vezes o próprio proprietário o tenta comercializar a preços mais reduzidos porque não tem que suportar o pagamento dessas comissões.

 

O preço pedido pelos imóveis baseia-se no próprio conhecimento do mercado por parte dos consultores que, em muitos casos, não se importam de angariar mesmo quando o preço pedido pelo proprietário está desajustado do mercado, usando esse pormenor para promoverem os outros que têm em carteira com valor de mercado semelhante, mas estão à venda mais baratos.

 

As consequências são imóveis que estão largos períodos sem se venderem, resultando daí importantes prejuízos para os proprietários que, mesmo não tendo muita pressa em vender, acabam por passar uma imagem negativa para os potenciais compradores:

 – “Se não se vende, qualquer coisa se passa!”.

 

Nestas condições, em grande parte dos casos, os imóveis acabam por ser vendidos abaixo do preço de mercado, quando o proprietário já tem uma necessidade premente na sua venda.

Salvo raras exceções, a venda do imóvel apenas é do conhecimento do proprietário e da imobiliária que mediou a sua venda, continuando à venda nas restantes imobiliárias angariadoras que pode chegar a um número superior a uma dezena, resultando daí que grande parte dos imóveis que estas têm em carteira, na realidade, já foram vendidos.

 

Por isso optar pela mediação em regime não exclusivo raramente é uma boa opção.

 

José Torres

Tel 960 148 019

Jaftorres37@gmail.com

Adicionar Comentário