Economia

SETÚBAL | Porto de Setúbal prepara o futuro no sector

Afirmar o Porto de Setúbal como a solução imediata face ao crescimento esperado na região da Grande Lisboa para os próximos 10 – 20 anos foi o foco da Conferência ‘Porto de Setúbal – Uma Solução para a Região de Lisboa’, que decorreu no Fórum Luísa Todi.

Autores
  • Porto de Setúbal / Carmo Torres

  • Email
Foto
  • Carmo Torres / Diário Imagem

Localidade
  • Setúbal

Categoria
  • Economia

Organizada pela CPS – Comunidade Portuária de Setúbal, esta conferência permitiu um debate aberto sobre as valências e capacidades do Porto de Setúbal mas também sobre o estado atual do setor portuário. 

 

Ana Paula Vitorino, ministra do Mar, lançou como desafio para o setor logístico-portuário “um crescimento de 200% nos próximos 10 anos” e reforçou a importância de um marketing positivo do setor, cujo potencial para o crescimento económico do país é enorme, e onde as questões da modernização e definição de estratégias concretas para aumento da competitividade têm sido uma prioridade.  

 

As obras de beneficiação das acessibilidades marítimas já projetadas para o Porto de Setúbal são atualmente a prioridade para Lídia Sequeira, presidente do Conselho de Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra.

 

Na sua intervenção na sessão de abertura da conferência, Lídia Sequeira defendeu ser ainda fundamental, nesta perspetiva de Setúbal enquanto uma solução competitiva, “que se explore a capacidade de expansão existente em Setúbal, definindo claramente o que são as suas vocações especificas – onde também a vertente da atividade marítima-turística tem de ser valorizada”.

 

Também a Câmara Municipal de Setúbal, representada pela presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, “se associa a este objetivo de reafirmar as capacidades do Porto de Setúbal no sistema portuário nacional e na região de Lisboa”.

 

A Mário Lopes, Professor do Instituto Superior Técnico, coube uma detalhada apresentação do Porto de Setúbal enquanto uma alternativa viável para a região de Lisboa. A defesa foi realizada efetuando uma comparação com as alternativas existentes - concretamente o já projetado terminal de contentores do Barreiro.

 

Mário Lopes defendeu que é no critério dos acessos marítimos onde o Porto de Setúbal assume grande vantagem face ao Terminal de Contentores do Barreiro - com os custos das dragagens de manutenção neste último a assumirem valores 5 a 10 vezes superiores aos estimados em Setúbal (cerca de 1 milhão de euros por ano).

 

Do programa fazia parte uma Mesa Redonda com um painel composto por representantes da AISET – Associação da Indústria da Península de Setúbal, Tersado, Medway e Autoeuropa e cuja discussão se centrou sobre o tema “Porto de Setúbal – uma solução para a região de Lisboa – mais capacidade, maior competitividade”.

 

Deste debate surge o entendimento de que com o fortalecimento resultante das obras de beneficiação das acessibilidades que vão decorrer e com vantagens como a não criação de qualquer conflito com a malha urbana e o enorme potencial de crescimento, o Porto de Setúbal posiciona-se como uma estrutura de primeira linha no Sistema Portuário nacional, que importa valorizar e maximizar.

  

 

 

Adicionar Comentário